O que é modulação hormonal bioidêntica?
 
 

Somente no século XX começaram as pesquisas hormonais. Na década de 20 a 40 a descoberta e identificação e nos anos 50 a 60 começa-se a compreender as ações e funções. Nesta época inicia-se a reposição hormonal na menopausa:

 

Sintomas do hipoestrogenismo

 
 

Hormônios sintéticos

 
 

Estrutura molecular diferente dos hormônios endógenos

 
 

Desconhecimento de outras ações

 
 

Desconhecimento das doses terapêuticas

 
 

Desconhecimento dos mecanismos de metabolização e excreção

 
 

Desconhecimento dos efeitos a médio e longo prazo

 
 

Uso de doses cavalares

 

Como conseqüência encontramos alguns benefícios e também abundância de para-efeitos, aumento do risco câncer de endométrio e de mama, e questiona-se o envolvimento com outros tipos de câncer. Esses problemas perduram até hoje trazendo medo, tabus, descrédito e abandono da terapia de reposição hormonal.

Nos anos 80 surge a modulação hormonal que faz renascer a antiga terapia de reposição hormonal dentro de novos conhecimentos e conceitos. Inicia-se uma maior disseminação de informações junto ao publico leigo e novas opções terapêuticas. A utilização de hormônios com estrutura molecular muito próxima aos hormônios endógenos e a redução expressiva das dosagens.

Antes a reposição era uma monoterapia específica objetivando repor um único hormônio (o que na realidade não fazia pois a utilização de hormônios sintéticos não repõe os nossos hormônios endógenos!). Este foi o início de tudo, mas apenas a ponta do iceberg.

Modulação hormonal implica em analisarmos todos os hormônios e suas dinâmicas. Não só a avaliação hormonal, mas a análise bioquímica, funcional e todo o perfil metabólico da individuo. Só diante de um quadro geral e sistêmico seremos capazes de estudar uma estratégia individual de modulação hormonal, pois sabemos que os precursores muitas vezes são os mesmo e que cada hormônio vai atuar aumentando ou diminuindo outros. Sabemos que a troca na alimentação assim como na atividade física e a própria maneira de ver a vida e lidar com o dia a dia é capaz de alterar consideravelmente o quadro hormonal. Daí a importância da modulação e a completa inadequação da reposição.

Do arsenal disponível atualmente, os principais hormônios usados na modulação são: estriol, estradiol, progesterona, hormônio do crescimento humano (hgh), testosterona, dhea, melatonina, tirotoxina, triiodotironina. 

Vale destacar que todos os hormônios que utilizamos são biologicamente idênticos aos que são produzidos no próprio organismo. 

Associados a eles usamos aminoácidos assim como outros componentes vitamínicos e minerais  que dão ao organismo substrato para sua formação  e ação.

A MODULAÇÃO HORMONAL RETARDA DE MODO AGUDO E CONSISTENTE
OS PROCESSOS DE ENVELHECIMENTO HUMANO.